Produtos

Gerador Solar Portátil

Gerador Solar Portátil

O Nosso sistema de energia solar eletromagnético é totalmente inovador , e sua capacidade é desenvolvida de acordo com a necessidade do cliente , O alvo é proporcionar às pessoas eletricidade ao ar livre, Áreas montanhosas remotas por energia...

Learn more

Energia renovável

É toda energia produzida com o uso de recursos naturais que se renovam ou podem ser renovados. O conceito existe em oposição ao da energia não renovável, gerada por combustíveis fósseis, como petróleo, gás natural e carvão mineral, cujas reservas um dia acabarão – Já que a terra terra necessita de milhões de anos para reproduzi-los.A mais antiga energia renovável em uso é a queima de lenha, pois replantar as árvores garante seu suprimento. A energia produzida pelo movimento da água ( por meio de turbinas, nos rios ou nas ondas do mar ), a da luz solar, a dos ventos, e a dos biocombustíveis são os exemplos mais relevantes hoje. 

Energia Sustentável

É a que mantém um ciclo equilibrado de produção e consumo, por que é gasta numa quantidade e numa velocidade nas quais a natureza pode repô la. O conceito está diretamente ligado ao de desenvolvimento sustentável: Levam-se em conta os fatores ambientais, mas não significa necessariamente energia limpa. A lenha, por exemplo, é um recurso sustentável quando a madeira é cultivada para esse fim; mas a fumaça de sua queima é tóxica e poluente. Portanto, não é limpa. Várias fontes de energia podem ser ou não sustentáveis. A água é sustentável desde que seus mananciais e o fluxo sejam preservados, o que implica em proteger a matas e evitar que um rio ou uma represa percam volume.

Energia Limpa

É aquela que não polui, ou que polui menos que as tradicionais. Na produção e no consumo, os exemplos mais comuns são a energia hidrelétrica, a dos ventos (eólica) e a solar. Mas a busca da energia limpa exige pesquisa e aprimoramento constantes. No Brasil, grandes represas hidrelétricas foram construídas pois sua energia é renovável, mas os projetos deixaram de considerar os danos que sua construção causaria ao meio ambiente,e, principalmente, a necessidade de, antes encher los lagos retirar as matas. Resultado: debaixo de água, as árvores de decompõe e liberam gases de efeito estufa por dezenas de anos, como ocorre em Itaipu, Balbina e Tucuruí. O conceito também é aplicado na comparação entre produtos: automóveis movidos a gás natural são considerados mais “limpos” que os movidos a gasolina, pois são menos poluentes.

Introdução a Resolução 482 ANEEL

A Resolução Normativa no 482 – 17/04/2012 da ANEEL – ou simplesmente Resolução 482 ANEEL – estabeleceu as condições gerais para a conexão à rede elétrica em todos os estados da Federação, da micro geração (potência instalada menor que 100kW) e mini geração (potência instalada entre 100kW e 1MW) Distribuída no Brasil e criou o Sistema de Compensação de Energia. Este permite que sistemas eólicos, fotovoltaicos e outras formas de geração de energia a partir de fontes renováveis com até 1MW de potência instalados em residências e empresas se conectem à rede elétrica de forma simplificada, atendendo o consumo local e injetando o excedente na rede, gerando créditos de energia. Desta forma, é possível praticamente zerar a conta de luz com o uso da energia produzida, pagando apenas o custo de disponibilidade da rede. Quando um sistema fotovoltaico estiver gerando eletricidade, esta será consumida no local. Caso a geração seja maior que o consumo, o excedente é injetado na rede elétrica, gerando créditos de energia. Quando a geração for menor do que o consumo, será utilizada a energia da própria rede elétrica. Os créditos de energia possuem o mesmo valor da eletricidade da rede e podem ser utilizados para abater o consumo, diminuindo assim o valor da conta de energia. Ao final do mês, é realizado o balanço de quanto foi injetado e quanto foi consumido. Caso em um mês a geração tenha sido maior que o consumo, os créditos de energia podem ser utilizados nos meses seguintes com validade de 36 meses. Esses créditos também podem ser utilizados para compensar o consumo de outras unidades previamente cadastradas para este fim e atendidas pela mesma distribuidora – cujo titular tenha o mesmo CPF ou CNPJ da unidade com sistema fotovoltaico. Ainda de acordo com a Resolução 482, o consumidor deverá pagar à distribuidora de energia o custo de disponibilidade da rede.